Ser ou não ser dono: Dilema Shakespeariano*