A Estatística sempre desmente o “Achismo”*